Joel da Harpa é contrário ao fim dos banheiros separados por sexo

Saiba mais informações clicando no link

Mutirão pela Vida atende mais de 300 pessoas
Alepe promove seminário gratuito sobre os 30 anos da Constituição de Pernambuco
Deputado Clodoaldo Magalhães vai debater sobre modernização na gestão pública durante seminário


Uma nota técnica da Gerente de Políticas Educacionais em Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania (GEIDH) do Governo do Estado, Vera Lúcia Braga de Moura, libera o uso de banheiros no que se refere ao uso de banheiros por pessoas transgêneres, travestis e transexuais, garantindo a todas elas o direito ao uso do banheiro conforme a identidade de gênero que cada uma delas auto reconhece e auto declara. Ou seja, homem poderá usar banheiro de mulher e vice-versa.

Para o deputado Estadual Joel da Harpa, a medida é uma aberração e deixará milhares de famílias apreensivas. “A decisão ignora a segurança, especialmente para as mulheres. Acima de questões sobre identidade de gênero, violência sexual precisa ser levada em consideração. Banheiro único para meninos e meninas em escolas é medida que ignora segurança. Se a escolha do banheiro feminino depender do livre arbítrio de homens indefinidos quanto à identidade sexual, nossas mães, esposas, filhas e netas não terão mais tranquilidade para frequentar um banheiro. E nós, pais de família, não confiaremos em deixar nossos filhos nas escolas”, afirma o parlamentar.

Para Joel, a cada dia, as supostas luta em favor de uma minoria e suas escolha, em detrimento da maioria, fere princípios e desrespeita a sociedade em geral, sem analisar as consequências.

“Já está ultrapassando os limites. Não podemos permitir que a nota técnica seja transformada em ações, especialmente nas escolas”, questiona. A utilização de vestiários e toaletes por pessoa cuja “identidade de gênero é diferente de seus cromossomos” fere o direito à intimidade, previsto na Constituição Federal.

COMMENTS