Joel da Harpa sai em defesa dos PMs de São Paulo e alerta: é preciso rever os movimentos sociais

Mais uma polêmica envolvendo a atuação dos policiais militares em atos públicos. Desta vez, em São Paulo. E, novamente, manifestantes saem do foco

Parlamentar quer óticas como atividade essencial
Joel da Harpa destaca violência crescente na pandemia
Domingo profissionais de segurança realizam ato “Vidas policiais importam”

Mais uma polêmica envolvendo a atuação dos policiais militares em atos públicos. Desta vez, em São Paulo. E, novamente, manifestantes saem do foco e promovem verdadeira depredação, deixando um rastro de destruição pela cidade. Com origem nas forças de segurança, o deputado pernambucano Joel da Harpa sai em defesa dos profissionais, lamentando que está cada vez mais difícil ser PM no Brasil e alerta: é preciso rever os movimentos sociais.

“É preciso entender que manifestação não significa poder fazer tudo. Que depredar o patrimônio seja público ou privado é crime. Querem que os policiais cheguem com flores enquanto são atacados com pedras e palavras desrespeitosas. E ainda questionam a atuação dos PMs, acusando a categoria de truculência e de ser da Direita. Um verdadeiro absurdo!”, desabafa Joel.

O parlamentar, sindicalista e líder de movimentos sociais da categoria, é a favor de qualquer ato democrático reivindicatório seja de Esquerda ou de Direita. “Cada um luta pelo que acredita mas precisamos lembrar que leis existem para serem respeitadas e os PMs possuem o papel do fazer cumprir a legislação. Querem quebrar tudo e serem recebidos com flores. Querem xingar, ofender e serem tratados com sorriso no rosto. O Brasil é um país pacífico . Não estamos e nem queremos guerra”, conclui.

COMMENTS