Leis da Delegada Gleide Ângelo contribuem para a manutenção dos bancos de sangue do estado

Saiba mais informações clicando no link

Delegada Gleide Ângelo apresenta projeto de lei para combater as chamadas “blackfraudes”
Delegada Gleide Ângelo e Prefeito Paulo Roberto fortalecem mulheres de Vitória de Santo Antão
Delegada Gleide Ângelo apresenta projeto de amparo às mulheres com câncer de mama e de colo de útero


Nesta segunda (14) é celebrado em todo o mundo o Dia  Mundial do Doador de Sangue. A data é um marco para a conscientização sobre a necessidade de sangue e dos produtos sanguíneos seguros para transfusões e a contribuição que os doadores de sangue voluntários desempenham no sistema nacional de saúde. Entretanto, os bancos de sangue pernambucanos ainda enfrentam carência de doações e baixas no estoque. O surgimento da pandemia da Covid-19 representa mais uma dificuldade para a estabilidade deste segmento vital.

Consciente da urgência e da constante necessidade de doações, a Delegada Gleide Ângelo é autora de duas leis que já estão em execução em todo o estado: a N° 16.724/19 e a N° 16.707/19. A primeira determina que doadores regulares de sangue tenham direito à meia entrada em eventos culturais e esportivos, como cinemas, apresentações teatrais e partidas de futebol. A segunda, assegura a isenção de taxa de inscrição para qualquer candidato a concurso público que for doador regular de sangue ou medula óssea.

A pandemia modificou nosso estilo de vida. Atividades culturais e de lazer foram reconsideradas, afinal, é uma situação sem precedentes. Mas, fico feliz em saber que, ainda sim, a lei que beneficia os concurseiros está cumprindo seu objetivo e aumentando a procura pelos bancos de sangue“, ressalta. A Delegada se reporta aos dados revelados pela Secretaria do Doador, da Fundação Hemope. O órgão destaca o aumento na emissão de declarações em benefício de candidatos a concursos públicos de todo o estado: entre 2019, quando a lei entrou em vigor, até dezembro de 2020, foram mais de 400 novas declarações.

O fato de as atividades de lazer estarem temporariamente suspensas, também não impede que as pessoas que, por exemplo, nunca fizeram uma doação possam agora contribuir para a saúde coletiva e ainda atingir a regularidade necessária para usufruir dos benefícios. Afinal, a pandemia vai passar e, além de ter colaborado para o bem de todos, a pessoa ainda pode usufruir deste direito garantido“, incentiva a parlamentar.

VOLUNTÁRIO
– Para contribuir com o maior banco de sangue de Pernambuco, o interessado deve ter entre 16 anos e 69 anos. Os menores de 18 anos precisam da presença do responsável legal (pai ou mãe), bem como levar xerox da identidade. É necessário ter mais de 50 kg, estar alimentado e em boas condições de saúde. Aqueles que testaram positivo para a Covid-19 também podem doar, mas apenas 30 dias após o desaparecimento dos sintomas, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

COMMENTS