Pandemia: José Queiroz culpa Bolsonaro por recorde de mortos no Brasil

PESAR – “Somos líderes mundiais em número de mortes diárias e atingimos a marca de 2.349 óbitos em 24 horas.”

“O governo Bolsonaro é incomparável e pior do que o governo do ex-presidente Michel Temer (MDB)”, afirma Luciana Santos
Bolsonaro recebe pessoalmente convite para assistir a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém
Bolsonaro devia cortar impostos de combustível, em vez de atacar governadores, diz Humberto

PESAR – “Somos líderes mundiais em número de mortes diárias e atingimos a marca de 2.349 óbitos em 24 horas.” Foto: Roberto Soares

Em discurso no Pequeno Expediente da Reunião Plenária desta quinta (11), o deputado José Queiroz (PDT) voltou a criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia de Covid-19. Na avaliação do parlamentar, os recordes diários de mortes registrados no País têm relação direta com os discursos contrários ao isolamento social e ao uso de máscaras, e com os atrasos nas negociações conduzidas pelo Ministério da Saúde para a compra de vacinas.

“Somos líderes mundiais em número de mortes diárias e atingimos, ontem, a marca de 2.349 óbitos em 24 horas”, lamentou, ressaltando o retorno de atividades econômicas e sociais nos países que já atingiram índices mais relevantes de imunização. “Se tivéssemos um comando sério no Brasil, estaríamos agora com cerca de 15% a 20% da população vacinada”, analisou.

Queiroz, no entanto, observou “uma mudança repentina de posicionamento” do presidente quanto às iniciativas de enfrentamento ao vírus. Ele se referiu ao uso de máscara pelo chefe do Executivo Federal em evento público recente, bem como a discursos nas redes sociais em defesa das vacinas. “É tragicômico ver essas ações. Bastou (o ex-presidente) Lula falar em defesa das medidas preventivas para que a família Bolsonaro desse uma reviravolta em suas posições”, declarou.

Câmara Federal – O pedetista citou ainda a aprovação, em primeiro turno, da proposta de emenda à Constituição (PEC) que permite ao Governo Federal pagar um auxílio emergencial em 2021. Ele criticou o rito utilizado pelos deputados federais na votação, que teve os prazos de discussão reduzidos. “A Oposição lutou muito para tentar consertar minimamente o texto por meio de destaques. Apenas um deles foi acatado, sendo outros nove rejeitados”, lamentou.

Por fim, Queiroz celebrou a recondução do filho dele – deputado federal Wolney Queiroz (PDT-PE) – à liderança da legenda na Câmara Federal. “O parlamentar é bem articulado com líderes da Oposição, com os partidos de esquerda e aqueles que fazem parte da base do Governo. O trabalho dele foi reconhecido pela bancada, que o reelegeu ao posto”, comemorou.

COMMENTS