Para Joel da Harpa aprovação da Lei Orgânica representa modernização das corporações

Saiba mais informações clicando no link

Joel da Harpa Polícia Militar de Pernambuco

Um momento histórico para os policiais e bombeiros militares de todo o Brasil! Após 53 anos de espera, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que cria a lei orgânica nacional dos militares estaduais. Para o deputado Joel da Harpa um importante passo na reestruturação e modernização do trabalho das corporações. Agora, a proposta será enviada ao Senado.

Joel explica que com a lei orgânica as corporações seguirão regras comuns e os profissionais terão direitos comuns. Porém, as corporações continuarão subordinadas aos governadores e com uniformes característicos de cada estado. O texto é um substitutivo do relator, deputado Capitão Augusto (PL-SP), para o Projeto de Lei 4363/01, do Poder Executivo.

No geral, o texto estabelece normas gerais de organização, efetivos, material bélico, garantias, convocação e mobilização das polícias militares e corpos de bombeiros militares. Fixa 37 direitos dos PM/BM tais como: identidade em validade em todo país; direito de livre porte de arma, para ativos e veteranos; direito de ficar em prisão na unidade militar e não no presídio comum; seguro de vida e de acidentes; assistência médica para o militar e sua família; remuneração com escalonamento vertical; direito de desconto em folha da contribuição associativa; e outros.

Também estabelece o material de segurança pública com as mesmas prerrogativas de material bélico das Forças Armadas, adquiridas no mercado nacional ou internacional, com equipamentos modernos e eficientes, assegurando o direito de porte de arma para oficiais e praças. Podemos também destacar a instituição de sistema de ensino da PM/BM, inclusive com colégios militares de ensino fundamental e médio, cursos de graduação e pós-graduação.

REDES SOCIAIS

Para Joel, um dos pontos polêmicos é quanto o direito à manifestação de opinião. O policial ou bombeiro não poderá manifestar sua opinião sobre matéria de natureza político-partidária, publicamente ou pelas redes sociais, usando a farda, patente, graduação ou símbolo da instituição. Também fica vetado o uso de imagens que mostrem fardamentos, armamentos, viaturas, insígnias ou qualquer outro recurso que identifique vínculo profissional com a instituição militar.

COMMENTS