Pernambuco investe em Sistema de Gestão de Pavimentos

Implantação da ferramenta conta com investimento de aproximadamente R$ 2 milhões e vai elevar a qualidade das rodovias estaduais nos próximos anos

Wolney Queiroz destaca atuação pela reativação de voos comerciais em Caruaru
Paulo Câmara anuncia R$ 200 milhões em obras de infraestrutura no Sertão
Deputada Roberta Arraes solicita ao Governo do Estado a requalificação do aeroporto do Sertão do Araripe

Implantação da ferramenta conta com investimento de aproximadamente R$ 2 milhões e vai elevar a qualidade das rodovias estaduais nos próximos anos

Construída entre as décadas de 70 e 80, a malha viária de Pernambuco vem passando, há dois anos, pelo grande desafio de ser reconstruída. Dentro do planejamento integrado para desenvolver os projetos necessários para a recuperação de cada estrada e tirá-los do papel, o Estado adota, pela primeira vez, o Sistema de Gestão de Pavimentos (SGP). Ao investimento de R$ 2 milhões, está sendo implantado o uso dessa ferramenta no Governo.

O novo sistema será integrado ao Programa Caminhos de Pernambuco, que está a cargo da Secretaria de Infraestrutura e é executado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O uso do SGP tem como objetivo alocar de forma eficiente os recursos públicos para auxiliar no processo de tomada de decisão quanto aos serviços de planejamento viário até o projeto propriamente dito, a obra, além da adequada manutenção das estradas. A iniciativa é colocada em prática em outras cidades do país e começou a ser utilizada pela Prefeitura do Recife em 2015.

O funcionamento desse sistema é iniciado a partir do cadastramento de todas as informações inerentes às características geométricas e de conservação das rodovias, obtidas a partir de um levantamento visual contínuo realizado por um veículo dotado de um sistema de geoprocessamento e de câmeras de alta resolução, entre eles, uma de 360° que captura imagens em todas as angulações possíveis. Em seguida, será realizada a leitura desses dados, que caracterizará todos os itens identificados no pavimento e nas faixas de domínio. E, por último, as informações serão classificadas pelo estado de conservação do pavimento, sendo possível calcular um orçamento estimado para a realização de uma obra específica e a indicação das possíveis soluções preventivas e corretivas. Além disso, no Sistema de Gestão de Pavimentos haverá o subsídio para previsão orçamentária considerando o que é necessário para a recomposição da malha viária e os investimentos disponíveis.

A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, explica que com esse sistema será possível gerenciar toda a malha viária estadual, ao facilitar o acesso à localização das rodovias, às informações referentes à sua conservação e as características geométricas. “Essa ferramenta auxiliará o Governo a executar o previsto no plano do Programa Caminhos de Pernambuco. O SGP ajudará na tomada de decisão, de acordo com os recursos financeiros disponíveis e, principalmente, no alcance de soluções mais eficientes do ponto de vista técnico”, destaca a titular da pasta. Além disso, será possível programar intervenções preventivas ou corretivas necessárias de acordo com o impacto da circulação do transporte pesado de carga e principais vias de escoamento da produção econômica local.

Quatro mil quilômetros de rodovias já foram rodados entre os meses de junho e julho para a primeira etapa de implantação do sistema. A expectativa é que a ferramenta esteja funcionando em sua totalidade até o final de novembro. O intuito é mudar o paradigma da metodologia da infraestrutura no Estado. “Esse é um dos maiores legados do Programa Caminhos de Pernambuco, que é a continuidade das ações para elevar a qualidade das rodovias sob a jurisdição estadual nos próximos anos. É importante ressaltar que o uso desse sistema pela engenharia carrega significativos ganhos, a partir do momento em que possibilita a utilização de equipamentos mais modernos e seguros para a conservação ou reconstrução de vias”, afirma a secretária.

O planejamento desse plano viário foi iniciado nos primeiros três meses de 2019 e leva em consideração, entre os fatores, o fluxo de veículos em cada estrada estadual e a rota de interligação entre as regiões. “Estamos no segundo ano dos serviços de recuperação das rodovias. Esse desafio não é pequeno. Nossa atuação vai desde a elaboração de projetos de engenharia, as ações rotineiras de manutenção corretiva e preventiva, obras de reconstrução asfáltica e a recuperação de pontes e viadutos”, salienta a secretária Fernandha.

A Gestão de Pavimentos será utilizada em toda a malha viária estadual, buscando sempre atingir e ampliar o tempo de vida útil em diversas rodovias, a exemplo das obras em andamento como as PEs 576 (Trindade/Ipubi); 550 (Santa Maria da Boa Vista); 88 (Salgadinho-João Alfredo); 275 (Sertânia/Brejinho). E também em estradas cujas licitações estão avançadas, entre elas, as PEs 045 (Escada / Vitória); 075 (Goiana); 017 (Estrada da Muribeca) e 018, em Paulista.

Atualmente, o Governo do Estado investe R$ 330 milhões em intervenções em andamento em 329 quilômetros de vias em todo o seu território, o que gera mais de 800 empregos diretos na fase de obra. Além disso, recursos na ordem de R$ 200 milhões estão em licitação de obras e R$ 640 milhões previstos em projetos de requalificação, correspondendo a 513 quilômetros de estradas. “O Governador Paulo Câmara vem trabalhando para triplicar o valor inicial do Programa, estimado em R$ 500 milhões. A expectativa é colocar mais R$ 1 bilhão para melhorar a logística viária para a retomada econômica no período pós-pandemia”, conclui Fernandha Batista.

COMMENTS