Projeto de Lei de Simone Santana proíbe exigência de autorização dos maridos para implantes de DIU em mulheres casadas

Saiba mais informações clicando no link

Clodoaldo Magalhães fala sobre os objetivos da 1ª Secretaria à CBN Recife
Lei que determina condomínios a terem planos de enfrentamento ao coronavírus já está em vigor
Alepe analisa projeto de lei que prevê devolução do IPVA para carros roubados


A descoberta de que cooperativas da Unimed exigiam permissão dos maridos para colocação do Dispositivo Intrauterino (DIU) em pacientes casadas levou a deputada estadual Simone Santana a criar Projeto de Lei (PL) proibindo esta prática em Pernambuco. O PL nº 2526/2021 penaliza profissionais e planos de saúde que exigirem consentimento do cônjuge para aplicação de métodos contraceptivos nas mulheres.

“É impressionante que práticas retrógradas como essas ainda sejam uma realidade. O acesso a métodos contraceptivos é uma conquista feminina e as decisões das mulheres sobre o próprio corpo dizem respeito apenas a nós”, afirma a parlamentar, que é médica e ex-presidente da Comissão da Mulher da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). “É claro que o casal pode fazer o planejamento familiar em parceria. Mas a mulher deve ter a palavra final quanto aos procedimentos realizados em seu corpo”, declara.

Além de garantir a autonomia da mulher na decisão sobre o uso do DIU, o PL também veta a exigência de permissão do cônjuge para uso de outros implantes contraceptivos e injeção de anticoncepcional. Se a Lei for aprovada, a infração à norma acarretará ao responsável as sanções previstas no artigo 56 do Código de Defesa do Consumidor, que variam entre multa e suspensão da atividade.

COMMENTS