RADAR POLÍTICO (15/01) – PT entregou o que já não tinha

Saiba mais informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

Programa Alepe Acolhe está entre os três melhores projetos sociais do Brasil
Deputado Clodoaldo Magalhães e prefeito Flavio Regis lutam por manutenção da comarca de São Vicente Férrer
Prefeito Sérgio Hacker inaugura ao lado do governador Paulo Câmara escola municipal de Ensino Integral


Ao contrário da imagem que o PT quer passar, o desembarque da sigla do Governo do Estado foi traumático. Esta cisão surgiu após o partido ser “convidado” a deixar o comando da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, que foi entregue ao PP. O “convite” para deixar pasta, que até então era comandada por Dilson Peixoto, indicado do senador Humberto Costa, foi a centelha responsável pela explosão de insatisfação na hoste petista. Perder o comando da robusta secretaria e aceitar 
um espaço de menor expressão no Governo seria se submeter a imensa humilhação.

Tentando mostrar que o divórcio com PSB não foi por causa da diminuição do espaço do partido na estrutura do Governo do Estado, coube aos dirigentes petistas jogarem a culpa na forma como o partido foi tratado na eleição municipal do Recife, quando o PSB não poupou artilharia pesada e apostou no discurso antipetista. É o tipo de desculpa que nem eles acreditam.

FORTALECIDOA saída do PT da Frente Popular fortalece ainda mais o PP, que agora, além de ampliar seu espaço de forma significativa no Governo do Estado, desponta dentro da base de apoio do PSB como a sigla que possui o maior tempo de televisão.

A BOLA DA VEZ – Com tamanha força, o PP caminha para 2022 com grandes chances de emplacar uma vaga na chapa majoritária que será encabeçada por Geraldo Júlio. O presidente da ALEPE, Eriberto Medeiros, é visto como um excelente nome para a vice. Por sua vez, Eduardo da Fonte é forte alternativa ao Senado.

NAMORADORJá virou motivo de piada a quantidade de deputados estaduais e candidatos que o prefeito de João Alfredo, Zé Martins, se comprometeu a apoiar em 2022. Ele está na lista de Rogério Leão, Romero Sales Filho, Fabrizio Ferraz, João Paulo Costa e Sileno Guedes.

PULOU UMA FOGUEIRA Votado por Zé Martins e o ex-prefeito Sebastião Mendes em 2018, Clodoaldo Magalhães optou pelo apoio à candidatura a prefeito de Sebastião, que acabou perdendo. Ao que parece Clodoaldo deu o tiro certo, caso contrário estaria engrossando a lista dos deputados que Zé Martins tá enrolando.

EXPANSÃO – Por falar em Clodoaldo, o parlamentar ampliou de forma significativa a sua base. Ele saiu de 8 prefeitos para expressivos 15 e estaria com grupos de oposição em ao menos 20 municípios. A sua reeleição está bem encaminhada.

Escrito por Wellington Ribeiro – E-mail: [email protected] – Telefone: (81) 99521-6544

COMMENTS