RADAR POLÍTICO (15/08) – Suplentes de deputados estaduais e suas chances de assumir o mandato

Saiba esta e outras informações sobre os bastidores da política clicando no link

Wanderson Florêncio Edson Vieira Roberta Arraes Davi Muniz Delegado Rossine Tiago Pontes Odacy Amorim Lucinha Mota
ESCRITO POR WELLINGTON RIBEIRO

Das últimas legislaturas, a atual já é considerada de longe a que menos favoreceu a suplentes de deputados estaduais, tudo porque a governadora Raquel Lyra (PSDB) não chamou um só deputado estadual para o seu secretariado. Aliado a isto, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), também não incluiu no seu primeiro escalão um só nome da ALEPE. Vale lembrar que, com exceção de licença para cuidado da saúde, os deputados estaduais só podem se afastar do cargo para dar espaço ao suplente caso assumam o posto de ministro, secretário estadual ou da capital.

Por sua vez, na Legislatura que se iniciou em 2015 o então governador Paulo Câmara  chamou para o seu secretariado Nilton Mota (Agricultura) e o então prefeito Geraldo Júlio colocou na sua equipe Alberto Feitosa (Saneamento), o que possibilitou que os suplentes Antônio moraes e Marcantonio Dourado Filho assumissem logo no início da Legislatura. Dois anos depois a eleição de Aglailson Júnior para a Prefeitura de Vitória, Miguel Coelho para Petrolina, Ângelo Ferreira para Sertânia e Lula Cabral para o Cabo efetivou Moraes e Marcantonio, além de Maviael e Roberta Arraes, já Isaltino Nascimento e Laura Gomes assumiram como suplentes.

Em 2019, o ambiente para suplentes também foi resumido, com Sivaldo Albino e Professor Paulo Dutra assumindo no lugar de Aluísio Lessa e Rodrigo Novaes, também do PSB, que foram chamados para o primeiro escalão de Paulo Câmara logo no início do ano. Já o suplente Marcantonio Dourado Filho, do PP, só assumiu o posto em 2021 quando o deputado Claudiano Filho foi comandar a secretaria de Desenvolvimento Agrário. Nesta Legislatura de 2019/2022 Sivaldo Albino acabou sendo eleito prefeito de Garanhuns em 2020, o que garantiu que Laura Gomes fosse para a ALEPE na condição de suplente.

Com as exceções de afastamento para assumir Ministério, Secretaria ou cuidado à saúde, as únicas outras duas formas de um suplente assumir uma cadeira são a morte do titular ou a eleição deste para o cargo conselheiro do TCE-PE, como ocorreu recentemente com Rodrigo Novaes que abriu espaço para Diogo Moraes, ou no caso de prefeito. A primeira opção já aconteceu em alguns casos na história da ALEPE, a segunda é a mais rara, no entanto a terceira é a mais comum de ocorrer e é nesta que muitos suplentes estão apostando todas as suas fichas. No PSB, por exemplo, Davi Muniz e Júnior Matuto estão de dedos cruzados para que Rodrigo Farias dispute a prefeitura de Surubim e Franz Hacker concorra em Sirinhaém; no PP um sucesso eleitoral do Pastor Cleiton Collins em Ipojuca abriria espaço para Roberta Arraes; o União Brasil tem Edson Vieira como entusiasta de uma candidatura de Cléber Chaparral em Surubim; já no Solidariedade ao menos um deputado deve encarar as urnas no próximo ano, Lula Cabral no Cabo de Santo Agostinho, no entanto existe grande expectativa em torno de Gustavo Gouveia para Carpina e Luciano Duque em Serra Talhada. No cenário mais otimista da sigla poderiam assumir Wanderson Florêncio, Delegado Rossine e Júlio Lóssio Filho.

Outros partidos que reúnem suplentes com o otimismo em alta são o Republicanos, onde Tiago Pontes tem grande possibilidade de assumir caso Mário Ricardo decida por concorrer à Prefeitura de Igarassu; e no PL Rebeca Lucena torce para que Nino de Enoque encare às urnas na cidade de Moreno. Já na federação que reúne PT/PCdoB/PV, o suplente Odacy Amorim sonha que João Paulo Lima e Silva dispute a prefeitura do Recife; na Federação PSDB/Cidadania, Lucinha Mota, primeira suplente e atual secretária de Justiça e Direitos Humanos, espera por uma vitória de Izaías Régis em Garanhuns. Por fim, na federação PSOL/Rede, Jô das Juntas aguarda por um sucesso eleitoral de Dani Portela em uma possível candidatura no Recife.

ALTERNATIVA – Não custa destacar que alguns desses suplentes possuem planos de disputar prefeituras no próximo ano. São eles: Roberta Arraes (Araripina), Júnior Matuto (Paulista), Rebeca Lucena (Abreu e Lima) e Delegado Rossine (Pesqueira).

VAI PRA CIMA – O ex-prefeito de Tamandaré, Hildo Hacker, anda dando sinais de que pode disputar a prefeitura novamente. Em suas redes sociais Hildo tem feito questão de destacar os feitos da sua gestão durante o período em que governou o município. Com Hildo na disputa o prefeito Carrapicho tem pela frente um adversário que reúne condições favoráveis de vitória.

COMITIVA – O deputado federal Lula da Fonte e os estaduais Kaio Maniçoba e Claudiano Martins Filho, todos do PP, levaram para audiência com a governadora Raquel Lyra nesta segunda os prefeitos(as) Nogueira (Calçado), Quebra Santo (Lagoa do Ouro), Silvio Roque (Tupanatinga), Camila Machado (Sirinhaém) e Dra Cátia Ribeiro (Jataúba).

PLANO B – Depois de não vingar uma parceria com PSD, o grupo dos Coelhos deve fechar um tipo de acordo com o PDT de Wolney Queiroz. A expectativa é que os Coelhos abriguem na sigla seus prefeitos e candidatos a prefeito na sigla para concorrerem nas eleições municipais do próximo ano.

ONDE HÁ FUMAÇA… – O ex-vereador Leno, pai da vice-prefeita Patrícia de Leno, foi visto circulando no último sábado no hotel Canairus, em Gravatá, na mesma hora do evento do PSB. É bom lembrar que Leno defende que a sua filha seja escolhida como a candidata da prefeita Célia Sales para disputar a prefeitura.

ALGUÉM RESPONDE? – Quais serão os novos partidos que a governadora Raquel Lyra irá contemplar com espaços no Governo?

Wellington Ribeiro Blog Ponto de Vista

Wellington Ribeiro é pós-graduado em Gestão Pública e Legislativa pela UPE – E-mail: blogpontodevistape@gmail.com Whatshap (81) 99521-6544

COMENTÁRIOS