Recife está aberto para um fato novo em 2020

Recife está aberto para um fato novo em 2020

Saiba mais informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

João Paulo Costa reforça compromisso com lideranças em convenções partidárias
Steno Ferraz transfere domicílio eleitoral para Afogados da Ingazeira
Aline Mariano lamenta falecimento do pai

O estado de Pernambuco só tem 6 municípios com mais de 200 mil eleitores para 2020, um quantitativo pequeno quando compara-se a outros estados maiores. Entretanto, quase todas elas já cativam um sentimento de mudança, reflexo das eleições do ano passado no imaginário dos eleitores. Enquanto não houver a forja de novas lideranças, ambientadas às novas concepções políticas e sintonizadas aos interesses da população, os pleitos municipais tenderão a ser sempre abertos em cada vez mais cidades pernambucanas.

Na capital recifense, mesmo com o deputado federal João Campos(PSB) gozando de todo apoio das máquinas municipal e estadual, a fadiga de material após 12 anos de governo socialista no estado e 8 anos na prefeitura, somados à falta de protagonismo no mandato federal complicam as regras do jogo em torno da figura dele. Há algumas semanas, vem sendo ventilado que sondagens internas indicam a rejeição ao socialista encostando nos 60 pontos percentuais. – Clique no link e confira ERRATA emitida pelo Blog.

No campo da oposição, Mendonça Filho (DEM) vem circulando na cidade, mas está sem mandato e pesa contra ele a memória por ter sido ministro do governo Temer (MDB). Além disso, a falta de apoio na cidade, no estado e em Brasília, complicam seus planos, principalmente porque ele nunca venceu uma disputa majoritária ocupando a cabeça da chapa.

Outro veterano sempre lembrado é o deputado federal Daniel Coelho (Cidadania). Daniel foi tido como surpresa positiva em 2012, quando obteve uma significativa votação e cresceu bastante politicamente, mas se fragilizou bastante em 2016. O deputado já teve também seu nome ventilado para disputar a prefeitura de outras cidades, como Olinda e Paulista, mas a rotina na capital federal atrapalha a construção destes projetos alternativos. Se tentar em 2020, deve sair da condição de novidade e assumir o peso de uma candidatura de insistência, como era a de Demóstenes Meira (PTB), que tentou 4 vezes seguidas na mesma cidade. Ou pior: se fragilizar ainda mais e prejudicar a reeleição em 2022. Mas, sagrando-se vencedor, agrega condições de alçar até voos maiores.

O deputado federal Raul Henry (MDB) também já colocou o bloco na ruas, mas nem o resultado obtido em 2018 na cidade, nem a relação do seu partido com o estado dão um indicativo bom de que logrará êxito.

Entretanto, os indicativos do próprio eleitorado apontam para o surgimento de nomes novos, de fora do tradicionalismo político e contrários a velhas práticas. Na cidade, alguns pré-candidatos já despontam enveredando por este nicho de votos, como Charbel Maroun (NOVO) e Pastor Jairinho (PTC), embora somente o futuro dirá se eles chegam vivos até agosto de 2020 e mais ainda, se a pauta de novidade funcione como combustível suficiente para a vitória. Um fato curioso é que Jairinho não conseguiu ser eleito senador em 2018, mas se projetou de tal forma que tem recebido dezenas de apoiadores semanalmente e se movimenta pesado mesmo um ano antes do pleito.

Os eleitores recifenses vão mesmo eleger fatos novos ou é só uma tendência passageira?

Vai apoiar – Ao que parece, o irmão do ex-governador Eduardo Campos desistiu mesmo de ser candidato a prefeito de Olinda em 2020. Antônio Campos (PODE), que foi derrotado em 2016 pelo atual prefeito Lupércio(SD) no segundo turno, pronunciou-se a favor do Coronel José Lopes, recém empossado ao PRTB. “Assim como meu irmão Eduardo, confio muito no Coronel José Lopes, na sua integridade e capacidade de dialogar. Portanto, me coloco à disposição para ajudar a construir o movimento que, liderado pelo Coronel José Lopes, vai mudar Olinda”, afirmou.

Troca – O ex-prefeito de Afogados da Ingazeira, Totonho Valadares, deixou o PSDB e ingressa no MDB para disputar a prefeitura do município em 2020. Ele reúne apoio dos deputados Raul Henry (MDB) e Antonio Coelho (DEM), além do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). Totonho é a principal aposta dos emedebistas para a sucessão do prefeito José Patriota (PSB)

Aprendendo – Em todos os atos do PP, o líder estadual da legenda, deputado federal Eduardo da Fonte, posa ao lado de seu filho, Lula da Fonte. Quem circula pela sede do partido sai de lá elogiando o rapaz que também preside a ala jovem do PP em Pernambuco. Parece que o talento para a política vem de berço.

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS