conecte-se conosco

Olá, o que você está procurando?

MENU

ALEPE

Tensão na análise do projeto que extingue as faixas salariais

A insatisfação dos militares estaduais com o formato da proposta enviada pelo Governo à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para eliminar as faixas salariais foi tema central dos discursos proferidos nesta terça-feira (26) no Plenário da Casa. O Coronel Alberto Feitosa (PL) declarou que os profissionais da segurança pública estariam realizando uma greve branca, ou seja, uma manifestação silenciosa com “braços cruzados”. Ele lamentou: “Pior do que uma greve deflagrada é a greve branca que estamos vivenciando, causada pela intolerância e pela forma como os policiais militares, civis, professores e professoras estão sendo tratados pelo atual governo de Pernambuco.”

O deputado ainda apoiou o protesto realizado nesta terça, no Recife, pelos motoristas de aplicativos. Segundo Feitosa, a regulamentação proposta pelo Governo Federal, que prevê a remuneração por horas trabalhadas, vai resultar na queda da renda desses trabalhadores.

A Delegada Gleide Ângelo (PSB) também analisou a discussão na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre o projeto que elimina as faixas salariais dos militares. Segundo a deputada, a proposta do Governo está “em desacordo com a democracia” e com as demandas da categoria. Para ela, o projeto, no formato atual, é inconstitucional e não valoriza os policiais e bombeiros. “Espero que até a próxima terça-feira não tenhamos a infeliz surpresa de ver esse projeto completamente inconstitucional ser colocado aqui novamente, goela abaixo”, criticou.

Por sua vez, João Paulo (PT) destacou o clima tenso durante a votação da proposta na Comissão de Justiça da Alepe na manhã desta terça-feira. O deputado observou que a superlotação do auditório, com muitos policiais armados presentes, comprometeu a segurança da Casa, dos parlamentares e a democracia interna.

Ele ressaltou que os participantes se revoltaram com a decisão da relatora da matéria, Débora Almeida (PSDB), de retirar o projeto de pauta, desestabilizando a parlamentar. “Se temos um Regimento Interno que permite os trâmites legais de obstrução de pauta, não podemos assistir a um comportamento daquele, nem ter aquele número de pessoas sem um comando”, enfatizou. “É preciso ter um mínimo de segurança para evitar uma tragédia nesta Casa”, completou.

Leticia Lima

Jornalista diplomada pela Uninassau

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pleno Humanizar
Banner Santa Cruz do Capibaribe

Você também pode gostar

OPORTUNIDADE

O prefeito Mano Medeiros anunciou hoje (26), um concurso público para diversos cargos públicos no Jaboatão dos Guararapes, oferecendo um total de 1.582 vagas....

ELEIÇÕES 2024

O Blog Ponto de Vista, em parceria com o Instituto França de Pesquisas (IFP), divulgará neste domingo pesquisa sobre a corrida eleitoral em Caruaru....

Recife

Aumentou o número de opções entre os auxiliares do prefeito João Campos que entraram no radar como alternativas para ser seu companheiro de chapa...

MUDANÇAS

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta segunda-feira (22), mudanças nos comandos da Polícia Militar e da Polícia Civil. O coronel Ivanildo Cesar Torres de...

Copyright © 2014 - 2023 Blog Ponto de Vista. Todos os direitos reservados.