Teresa Leitão pede celeridade da Alepe na análise de PL que coloca professores como grupo prioritário na vacinação contra a covid-19

Saiba mais informações clicando no link

Doutora Nadegi comemora anúncio de mais uma escola em tempo integral para Camaragibe
Servidores municipais refletem sobre talentos e temperamentos em palestra de motivação
Fred Amâncio é o nome de João Campos para a Educação


O Brasil atingiu, na última quarta-feira (24), a triste marca de 300 mil vidas perdidas para o coronavírus. Enquanto isso, a vacinação continua a passos lentos no país. Durante a reunião plenária da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) desta quinta-feira (25), a deputada Teresa Leitão (PT), prestou solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos e destacou que dentre esses mortos, dez são professores da rede pública estadual de Pernambuco. Ou seja, é urgente a colocação dos trabalhadores em educação como prioridade na vacinação.

O número informado por Teresa faz parte de um levantamento feito pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Diante desse cenário, a deputada pediu para que a casa agilize e analise os projetos de lei que tratam da indicação de grupos prioritários para a vacinação. No momento, há 25 Projetos de Lei relacionados à vacinação, sendo oito sobre grupos prioritários.

“A covid-19 chegou às escolas. Há uma pressão para a abertura das escolas, a gente reconhece a importância e a necessidade da escola, o tempo pedagógico que está sendo perdido é imensurável. A recomposição dessa perda é desafiadora. O ensino remoto não dá conta de tudo, o ensino remoto sequer chega a todas as crianças. Está exaurindo os profissionais de educação, os professores sobretudo. É mais de um ano nessa peleja, então é necessário que a gente, ao cobrar o funcionamento da escola, paralelamente a isto, também indique a prioridade aos trabalhadores em educação para a vacina”, pediu Teresa.

A deputada é autora do Projeto de Lei 1786/2021, que pede a priorização dos trabalhadores em educação na vacinação contra a covid-19. “Esse vírus não é individual. Esse vírus exige conduta coletiva e a escola é um espaço coletivo e é por isso que nós estamos pedindo que os trabalhadores em educação sejam efetivamente priorizados na vacinação”, frisou.

COMMENTS