Teresa Leitão voltar a pedir vacinação para trabalhadores em educação

Saiba mais informações clicando no link

Paulo Câmara: “Educação é, e continuará sendo, cada vez mais, uma prioridade do nosso governo”
Silvio Costa Filho destina mais de R$60 milhões para a educação de Pernambuco
Teresa Leitão endossa apelo por prioridade para profissionais da educação na vacinação contra a covid-19


Pernambuco flexibilizou a quarentena e aos poucos vai, novamente, tentando retomar as atividades, mesmo com a pandemia registrando tristes recordes. Durante a reunião plenária ordinária da Assembleia Legislativa de Pernambuco, realizada nesta quinta-feira (1º), a deputada Teresa Leitão (PT) voltou a fazer um apelo pela necessidade de vacinar os trabalhadores e trabalhadoras em educação como grupo prioritário para imunização na Fase 1.

O calendário de retorno ficou diferenciado para as escolas particulares, estaduais e municipais, com retornos marcados para o dia 19 de abril, 26 de abril e 3 de maio. No entanto, Teresa destacou o fato de que essas datas vão chegar e é preciso aproveitar esse tempo até lá para proteger os trabalhadores e os alunos.

“Não dá para a gente ficar só adiando sem tomar algumas medidas. Vai chegar o dia do retorno. Como é que estão as escolas para este retorno? Primeiro destaque. Segundo destaque, como está a vacina para os trabalhadores em educação? Nós já pedimos isso, tem projeto de lei. Se o governo não quer aprovar os nossos projetos e quer fazer uma coisa da sua iniciativa para que o bônus não seja dividido com a Alepe, que o faça, mas não deixe estar morrendo professor, trabalhador em educação sendo contaminado pela covid-19”, pontuou.

Teresa lembrou ainda que, na última quarta-feira (31), foi aprovado, por iniciativa dos deputados federais Rejane Dias (PT-PI) e Danilo Cabral (PSB-PE), entre outros, o texto base de um projeto de lei que inclui algumas categorias como prioritárias para a vacinação – muitas categorias que estão em vários projetos de lei que tramitam na Alepe.

“Vamos agilizar, vamos cuidar da saúde dos profissionais de educação. Se a escola é essencial, e ela é, se está se pensando no retorno, se há pressão para o retorno, este adiamento é propício, necessário e pode favorecer isso. Aproveite-se esse tempo para implementar, iniciar a vacina dos trabalhadores e das trabalhadoras em educação”, relatou.

A parlamentar citou dados divulgados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe) sobre a contaminação da categoria. A entidade sindical afirmou, inclusive, que este levantamento é parcial. “Não deixe aumentar dentre os trabalhadores e trabalhadoras em educação o número de pessoas contaminadas, que já ultrapassa 500 e o número de professores falecidos pela covid-19, que já ultrapassa uma dezena. São vidas, são histórias e a gente pode estar contribuindo para aguçar ou para evitar. É importante que essa consideração seja feita”, reforçou.

COMMENTS